Follow by Email

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Além do Horizonte


Muitas pessoas aproveitaram o Dia da Independência e a Semana da Pátria pra criticar tudo de errado que há no país. No Twitter, teve gente dizendo que "se o país fosse independente não precisaria desejar sair do país para ter uma vida no mínimo digna". Meus caros, o país está assim por culpa de vocês! Por minha culpa! Por culpa de cada um de nós!

É tão cômodo dizer que "os políticos são corruptos e por isso o país não vai pra frente", ou ainda "esse governo não faz nada"... Assim, reclamam ainda que faltam políticas públicas pra isso ou aquilo. Vamos partir primeiro pro óbvio: os políticos foram eleitos, certo? Por nós, certo? Ou seja, a culpa por serem eles os que estão lá é nossa! Lá no Oriente, em países que estavam sob regimes ditatoriais recentemente derrubados, quando a insatisfação do povo chegou ao intolerável, eles se uniram e mudaram a realidade do país! Enfrentaram o que foi preciso para mudar o que causava tanto descontentamento. Antes que haja qualquer má interpretação, não quero aqui incitar uma luta armada, quero apenas provocar uma reflexão sob algumas perspectivas diferentes!

Segundo questionamento: quem aqui de fato faz a sua parte? Quem acompanha os pleitos das Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas, Câmara dos Deputados, Senado? Quem acompanha as propostas do seu candidato? Vou mais além: quem aqui ouve a Voz do Brasil??? Quem já acessou o Portal da Transparência? Quem busca informações fora dos grandes meios de comunicação, que muitas vezes já vem com opiniões e tendências "embutidas" nas reportagens? É interessante que nas redes sociais e na internet circulem inúmeras mensagens sobre projetos de Lei absurdos que tramitam nas Câmaras, todo mundo se revolta, encaminha, compartilha e mostra sua indignação. E? Alguém acompanha para ver se esta mobilização surtiu resultado? Aliás, alguém aí foi checar se tal projeto de lei realmente existe?

No dia 7 de setembro houve uma Marcha contra a Corrupção em Brasília e em outras capitais. No dia seguinte, no Twitter e no Facebook muita gente propunha um “boicote” aos meios de comunicação por terem “ignorado” a marcha. Honestamente, até a hora do almoço naquele dia eu vi três vezes na televisão reportagens sobre a marcha.

Terceiro questionamento: Levante a mão quem aqui nunca tirou proveito de nada! Nunca tentou furar uma fila, deu uma de "espertinho" no trânsito, sonegou um impostinho... Comece a observar, a maioria das pessoas, sempre que pode, tira proveito da situação para se beneficiar. Proporcionalmente, se esta pessoa estivesse lá no governo, será que ela resistiria a uma "propinazinha"?

A famosa frase “Cada povo tem o governo que merece” foi escrita por um monarquista francês no século XIX. Ele já acreditava que as falhas cometidas pelos governantes serviam quase que como um castigo para os que neles tinham votado. Ou seja, se nós, no cotidiano não vemos problema em gastar papel e tinta na impressora do trabalho para imprimir as 245 páginas daquele livro que baixou na internet, porque os nossos representantes veriam algum problema em pegar uns milhõezinhos?

As pessoas tem sim que colocar a boca no mundo, protestar, indignar-se e não acomodar-se diante da situação. Mas nós temos que repensar a forma de fazer isso, para que a situação de fato mude. De que adianta tanto barulho, indignação se, nas urnas, as mesmas caras, as crias delas, ou ainda artistas, esportistas e celebridades são escolhidas como nossos representantes? Cada um tem que entender que seu voto faz sim a diferença e lembrar que, antes de nós, quantos foram mortos lutando pelo nosso direito de votar? Vamos honrar esses que tiveram mais coragem que nós e valorizar a herança que eles nos deixaram. Vamos de fato planejar protestos e twitaços que atinjam nossos objetivos, que tenham resultados, que provoquem mudanças. Vamos enxergar o que está do outro lado do horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário